Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 25 de julho de 2010

SEDNA - A mulher que se apaixonou por um cachorro

Considerada como uma das narrativas sobre a origens da Deusa - Mãe, que deu origem a todos os animais marinhos… e que garante a sobrevivência dos povos do Polo Ártico.

A história da Mulher Esqueleto pertence ao ciclo das historias relacionadas a Sedna.
Nesta versão da lenda podemos analisar aspectos importantes do espírito feminino em sua expressividade sensivel:

"Sedna, uma bela jovem muito galanteada pelos jovens do povoado.
Nunca aceitava seus pretendentes - até que se apaixonou por um cachorro e com ele casou.
Os jovens pretendentes rejeitados ficaram raivosos e juntos resolveram levar a moça para o alto mar e a jogaram nas águas geladas.
Para se salvar, Sedna agarrou-se a lateral do barco, mas os homens obstinados em se desfazer dela, cortaram seus dedos para que ela morresse afogada.

Quando seus dedos caíram no mar, foram se transformando nas primeiras focas e outros seres marinhos enquanto o corpo de Sedna ia para o fundo, se transformando na Rainha dos Seres Marinhos.

Mesmo morta, ela se transforma e beneficia a todos. Com o passar dos tempos, pelo descuido continuado dos homens, ela reage. Sedna ofendida castiga os homens. Senhora de todos os animais ela prende todos os animais nas profundezas do oceano, impedindo os homens de pescar e caçar.

Ate que um homem bravo, com poderes de xamã, foi até o fundo do mar e penteou e desembaraçou seus cabelos. Agradecida, liberta os animais para que a humanidade possa se alimentar outra vez".
Quantos ensinamentos!


Por Suely Laitano Nassif

7 comentários:

  1. Querida Analú

    Muito ensinamentos podemos tirar do seu conto. Se transportá-lo para os dias atuais muitos seriam os homens que merecem primeiro serem trocados por um animal de confiança e segundo castigados pelas suas graves faltas para com as mulheres.
    Um abraço e tudo de bom!

    ResponderExcluir
  2. Que metáfora ... esta mulher que se apaixonou pelo cachorro!!!

    Nesta parte da lenda...
    são os outros homens que não aceitam as decisões da mulher, SEDNA...

    O que eles fazem??
    Como fazem??
    Porque fazem??

    Sedna, mesmo depois de tudo... se transforma...
    De seus dedos cortados
    Transmutam-se na origem da vida submarina...

    Sedna, mesmo assim, só reage...
    frente aos pecados dos homens...
    aos detritos produzidos...
    a desconsideração com a natureza,
    com o ambiente...

    O que ela faz?
    Como ela faz?
    Como ela,
    mesmo assim, e capaz de perdoar??

    Desde a menina ruiva da tentação de Clarisse Lispector
    que se apaixona pelo base ruivo...
    A essa lenda narrada por esta outra Clarisse, as mulheres se apaixonam...

    Assim como na crônica do AMOR CASUAL
    que mesmo tentando fazer sexo casual,
    sua natureza... sensível... acaba fazendo amor...

    Amor,
    sentimento capaz de unir polaridades
    sentimento capaz de produzir do embate de opostos: filhos

    Filhos
    que renovam as possibilidades...
    que se abrem para uma promessa de futuro...

    ResponderExcluir
  3. Estou perambulando pelos vários posts da semana, e impossível não fazer, como a Suely, a conexão entre eles.
    Comentando “Amor Casual”, eu disse:
    “Quem tem que ditar quem amamos, como amamos, porque amamos, é nossa alma, nosso coração. Amor é liberdade.”
    Sedna, a personagem dessa lenda, era uma mulher livre. Livre a ponto de decidir a quem amar respeitando apenas sua própria vontade. Apaixona-se e se casa com um cachorro.
    Creio que, aqui, cachorro no seu melhor sentido, aquele que oferece um amor puro e incondicional. Fiel. Companheiro.
    Sedna respondeu aos apelos da própria alma, rejeitou os homens, e se casou com um cão. E quero ver alguém me dizer que ela não tinha direito de fazer isso...
    O amor era dela, o sentimento era dela, a vida era dela... que coooisa!!!!!
    Mas... os homens de seu povoado não pensaram assim. Numa TOTAL falta de respeito à natureza, acharam que Sedna não tinha direito de lhes rejeitar por um cão. E cometeram todo tipo de crueldade contra essa mulher.
    Alguém conhece alguma história assim? Isso não é lenda. Hoje, terceiro milênio, 2010, PROLIFERAM histórias assim...
    Infelizmente, muita gente ainda crê que pode mandar nos sentimentos alheios. Que pode EXIGIR amor. Que pode comprá-lo, mesmo que o outro não queira vender!!! Que pode castigar quem se negar a “fornecer”...
    Nooossa... como fico triste quando penso nisso...
    Sedna foi vítima das mais brutais violências, e, ainda assim, tudo o que fizeram contra ela, ela transformou em amor.
    Seus dedos se transformaram em alimento, que garantiria a sobrevivência daqueles mesmos que o cortaram.
    E, embora ela tivesse poder para castigar a todos pelo constante desrespeito à natureza, um simples gesto de carinho, de um homem que resolveu desembaraçar seus cabelos emaranhados e enlameados, a faz sentir-se agradecida e desistir de sua vingança...
    Quanta similaridade com o que vejo todos os dias por aí!
    Como são as mulheres? Sofrem barbaridades, e um mínimo sinal de carinho as faz esquecer de tudo e perdoar.
    A lenda de Sedna é linda. Sedna é divina. Mulher é isso mesmo: amor.
    Mas, quero estragar um pouco o clima, e perguntar: até que ponto devemos perdoar tudo? Até que ponto é saudável sermos tão amorosas e crédulas e nos deixarmos envolver por pequenos gestos de carinho, esquecendo de grandes gestos de desrespeito?
    O quanto é saudável, até mesmo para os homens, esse perdão fácil, que os desobriga de crescer?

    ResponderExcluir
  4. Até que ponto???

    O ponto onde "Aprende que não importa em quantos pedaços seu coração foi partido, o mundo não pára para que você o conserte. Aprende que o tempo não é algo que possa voltar. Portanto, plante seu jardim e decorre sua alma, em vez de esperar que alguém lhe traga flores."?

    ResponderExcluir
  5. OI GENTE EU SOU A SEDNA POREM BUSCO A ORIGEM DO SIGNIFICADO DO MEU,NÃO SABIA QUE ERA TÃO IMPORTANTE ASSIM AGRADEÇO AO SEGUINDORES DA DEUSA SEDNA

    ResponderExcluir
  6. O MEU NOME É SEDNA EU JA SOU FAMOSA NO TRABALHO AGORA MUNDIAL ISSO É A MARAVILHA

    ResponderExcluir
  7. Lembrei-me de um filme que vi e não lembro do nome onde o marido proibe sua mulher de tocar piano,pois lhe parecia que a paixão pelo piano era maior do que aquela em que a esposa deveria ter por ele. Dai me pergunto e a forma como os meninos e meninas são criados.O quanto emoções universais como compaixão,compreensão e perdão foram colocados pela cultura judaico-cristã e cabe na maioria da vezes a mulher cumprir este papel e para os homens o tirar o proveito da situação e se dar bem sem nenhum mergulho emocional mais profundo,pois isso é para mulheres ! (quantas ideias erroneas) e o amadurecimento emocional da pessoa enquanto ser humano é que se fragiliza.

    ResponderExcluir