segunda-feira, 23 de maio de 2011

Comentários de Mulher - Aniversário de um ano

Em maio de 2010 um encontro e uma longa conversa sobre a necessidade de se falar às mulheres e proporcionar-lhes um espaço em que pudessem colocar suas idéias e discutir questões da alma gerou um pequeno embrião que, em 20 de junho nasceria, com nossa primeira postagem, um convite:

Engatinhando, tateávamos esse universo feminino, desejando muito abordar questões cruciais e conseguir o envolvimento de leitoras. Queríamos que elas repensassem verdades estabelecidas, mergulhassem fundo em seus questionamentos, refletissem sobre sua vida, suas perspectivas, suas crenças e, enfim, se aproximassem mais de si mesmas e vislumbrassem a possibilidade de uma vida mais plena.

Titubeando temerosa, em relação ao peso dessa responsabilidade, certo dia, meio que de surpresa, me deparo com uma segunda postagem, da Suely, um vídeo sobre a circuncisão feminina. Começava aí um movimento de provocação por parte dela, sempre antenada com o que acontece no mundo, e reação da minha parte, sempre profundamente mexida com os temas que me propunha. Vendo esse primeiro vídeo, me emocionei, comentei, e perdi o medo de expor meus pensamentos e sentimentos sobre o universo feminino e mesmo sobre o mundo e a vida de todos nós. Afinal, nossa intenção nunca foi a de sermos donas da verdade, mas a de trazermos à tona assuntos relevantes, que na correria do dia-a-dia e sob a pressão de um mundo que cobra resultados, ficam em eterna hibernação.

Ao longo desse ano nos deparamos com todo tipo de dificuldades. A primeira delas: sermos mulheres. Como bons exemplares da espécie, temos inúmeros papéis a cumprir, um desejo de sempre fazer da melhor forma possível aquilo a que nos propomos, e uma convicção de que não podemos faltar àqueles que contam conosco. Isso faz com que dias de 24 horas sejam incrivelmente curtos. Mas seguimos, porque nos apaixonamos pelo blog e por aquilo que poderíamos realizar através dele. O fato das postagens não serem tão frequentes quanto gostaríamos não nos preocupou muito, porque não pretendíamos mesmo fazer um trabalho para consumo rápido. As postagens são feitas com tanto carinho e abordam temas tão relevantes que merecem, sim, ser lidas e relidas e comentadas e maceradas dentro de nós e dos leitores.

Hoje, um ano depois, já temos algo a comentar.
Falar do que é bonito sempre provoca reações positivas, mas quando tocamos em feridas abertas, podemos afastar aqueles cuja resistência à dor é pequena. É preciso muito tato quando se escreve sobre o que não é tão bonito em nossas vidas. Mas sempre vale muito a pena.

Com tão pouco tempo de blog, já fomos perseguidas e houve até quem nos clonasse! Também houve quem, para concordar conosco ou refutar algumas idéias que aqui colocamos se desse ao trabalho de escrever textos elaborados, comentando os nossos. Extremamente gratificante a constatação de que, em alguns momentos, conseguimos gerar sérias reflexões e motivar pessoas a escreverem as suas próprias.

Não foi simples como imaginávamos conseguir comentários femininos. Por algum motivo, os homens se interessaram mais em ler e comentar do que as próprias mulheres.

Muitas vezes, enquanto homens se envolviam e comentavam enfaticamente, mulheres deixavam um pequenino “curti” nos links que jogávamos no mural do Facebook. O que nos fez pensar o tempo todo nisso, tentando entender o porquê dessa reação sempre tão mais comedida por parte do público feminino. Há mil especulações possíveis sobre isso. Uma das explicações que nos ocorre é a de que, talvez, Clarissa Pinkola Estés tenha mesmo razão ao afirmar que mulheres são treinadas, desde que nascem, a não ver, não ouvir, não falar, não ter insight. Sem dúvida, talvez até por um cuidado em relação à autoexposição, elas se mostram muito mais timidamente. E nos perguntamos por que, em 2011, as mulheres ainda se sentem tão mais vulneráveis à opinião alheia do que os homens.

Várias vezes escrevemos sobre o Barba Azul, nosso predador interno, e a questão da negação da realidade. Incomodamos. E nesse momento, quando revemos tudo o que postamos e as reações dos leitores, concluímos que o Barba Azul estará sempre presente em nossas postagens, porque, realmente, precisa ser adestrado. É graças a ele que uma grande parte das mulheres se cala, não apenas em seus comentários no blog, mas na vida.

Às vezes um trabalho parece ser ainda muito pequeno, mas provoca movimentos tão bonitos que nos emocionam profundamente. Escrever é sempre muito gratificante.

Há pouco tempo, uma postagem minha sobre as dificuldades que mulheres em torno dos cinquenta enfrentam motivou um amoroso comentário de um rapaz cuja mãe conheço. A mãe leu o comentário do filho e se deu conta do quanto ele a ama. Mais tarde, me escreveu, dizendo que havia chorado. Aquilo que sempre esperara escutar pessoalmente foi dito através de um comentário no blog. Isso, com certeza, os aproximou. Chorei ao ler o e-mail da mãe.

Enfim, valeu. Continuemos... ;)

Ana Lúcia Sorrentino

7 comentários:

  1. Aniversário do blog, se comemorar, boa festança, tá, Analu. O derradeiro parágrafo deste post ainda está umedecido, e parece que valeu mesmo essa extravagência emocional.

    ResponderExcluir
  2. Vá em frente, Ana Lucia, com coragem e determinação a realizar aquilo que a alma pede.
    Parabéns pelo seu trabalho. Você faz parte de uma elite de mulheres que já descobriu que pode ir muito além, e desbravar horizontes desconhecidos, com ousadia e sensibilidade.
    Um abraço cordial,
    Mauricio A Costa.
    Autor de 'O Mentor Virtual'

    ResponderExcluir
  3. Lindo Nalu. Parabéns! Continue forte - o caminho está certo. bjs Cris

    ResponderExcluir
  4. Ana Lúcia,

    Acredito que toda forma de expressão que nos leve a conquistar definitivamente o que nos cabe é sempre muito bem-vinda e fundamental.

    Enganam-se as pessoas que consideram que há igualdade de fato entre homens e mulheres. Existe, sim, uma igualdade de direito, arduamente reconhecida há bem pouco tempo atrás, com a Constituição de 1988. Teoricamente, tudo belezinha. Mas na prática, mesmo, ainda há um longo caminho a percorrer.

    Isso tudo me leva à constatação de que ser mulher é uma missão bastante complicada, mesmo nos dias de hoje. No entanto, essa luta fica cada vez menos sofrida quando se usa com tanta propriedade o poder de se manifestar, como vocês fazem aqui. É de se orgulhar.

    Parabéns! Que venham muitos outros anos!

    Um grande beijo,

    Tânia

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo seu trabalho e pelo objetivo atingido. Seu Blog é mesmo um sucesso e nós mulheres nos sentimos muito bem representadas!
    Muitos e muitos anos para comemorar é o que desejo!
    Um abraço e tudo de bom!

    ResponderExcluir
  6. Estou passando por aqui para convidar você para conhecer meu blog doce.

    Quando puder passe por lá vai ser prazer ter sua companhia.

    www.tatidesignercake.blogspot.com

    ResponderExcluir